FAQs

Nesta secção, procurarmos responder às questões que possam existir sobre o Consórcio AETC, o programa Erasmus, a atribuição de bolsas, a avaliação, as equivalências. Toda a informação necessária para que os nossos alunos e parceiros possam usufruir em pleno da experiência Erasmus.

Caso a informação desejada ainda não conste das nossas FAQ, poderá colocar uma questão ao Consórcio AETC.

Como posso ter acesso às ofertas de estágios internacionais?

O estudante interessado numa mobilidade de estágio internacional deve estar atento às informações atualizadas em permanência no sítio do Consórcio AETC. Para tal, basta clicar em "Ofertas de Estágios". O site do Consórcio está a ser atualizado em permanência, pelo que deve visitar o sítio do Consórcio frequentemente.

Sou estudante de Licenciatura/Mestrado/Doutoramento. Será que me posso candidatar a uma bolsa para a realização de um estágio internacional no estrangeiro?

Qualquer estudante do 1º, 2º ou 3º ciclo pode candidatar-se a um estágio internacional no estrangeiro ao abrigo do Programa Erasmus.

Soube de uma oferta de estágio no estrangeiro que me interessa. Como devo proceder para candidatar-me?

Apesar de o contacto inicial poder ser feito pelo estudante diretamente com a pessoa indicada pela empresa/entidade de acolhimento, o ideal é que se dirija ao Gabinete de Relações Internacionais e/ou de Estágios da sua instituição de acolhimento, a fim de solicitar um aconselhamento sobre como proceder. As equipas dos referidos Gabinetes estão prontas a ajudar.

Após manifestar o interesse por uma oferta de estágio e após um contacto inicial com a empresa/entidade de acolhimento, soube que fui selecionado. O que devo fazer para candidatar-me a uma bolsa Erasmus para a realização de um estágio profissional no estrangeiro?

Se for contactado pela empresa/entidade de acolhimento, deverá dirigir-se ao Gabinete de Relações Internacionais e/ou de Estágios da sua instituição de ensino, que fará as diligências necessárias para considerar a sua candidatura. Deverá apresentar um texto escrito em português ou em inglês, numa página A4 (Times New Roman 12, a espaço e meio), sobre o porquê de candidatar-se ao lugar. Deverá passar, posteriormente, em data a indicar pelo respetivo Gabinete, por uma entrevista de seleção, e, caso seja selecionado, por reuniões/participação em workshops a agendar com um tutor a ser designado pela instituição de ensino, que o vai auxiliar na preparação da mobilidade. Esta preparação consiste no aconselhamento sobre a documentação necessária para a mobilidade, dicas para a obtenção de alojamento, preparação linguística (sempre que a língua do país de destino seja ensinada na instituição de ensino superior de origem) e preparação intercultural.

Foi-me atribuída uma bolsa para a realização de um estágio profissional no estrangeiro. Como é feito o acompanhamento do estágio e como serei avaliado?

No decorrer do estágio, o estagiário será acompanhado pelo tutor da sua instituição de ensino e pelo supervisor da empresa/entidade de acolhimento. A prestação do estagiário será avaliada segundo os critérios que constam do Quality Commitment do Training Agreement, devendo prestar especial atenção a aspetos como: (a) assiduidade e pontualidade; (b) capacidade de integração na organização; (c) disponibilidade para adquirir e aplicar novos conhecimentos; (d) capacidade para integrar críticas; (e) capacidade para resolver problemas imprevistos; (f) capacidade de demonstrar iniciativa e criatividade; (g) capacidade de executar tarefas com qualidade e rapidez; (h) capacidade de relacionamento interpessoal; (i) conduta profissional correta; (j) sentido de responsabilidade, dentre outros. Informações mais detalhadas serão prestadas pelos Gabinetes de Relações Internacionais e/ou de estágios da sua instituição de ensino.

Uma vez atribuída a bolsa Erasmus para a realização de um estágio profissional no estrangeiro, quem trata dos documentos necessários para preparar a estadia no país de acolhimento? Que documentos devem ser apresentados?

É da inteira responsabilidade do candidato a preparação de documentação necessária à mobilidade no que diz respeito ao passaporte (caso o país de destino não pertença ao Acordo de Schengen), Cartão Europeu de Seguro de Doença, e a contratação obrigatória de um seguro de viagem, uma vez que a instituição de ensino superior de origem do estudante garante apenas um seguro escolar que cobre exclusivamente os acidentes pessoais para atividades académicas. Recorde-se que, na União Europeia, são raros os países que cobrem integralmente as despesas com tratamento médico. Assim sendo, antes da partida, o estudante deverá apresentar no Gabinete de Relações Internacionais e/ou de Estágios da instituição de ensino superior de origem o comprovativo da contratação do referido seguro de viagem. Antes de partir para o estrangeiro, o estudante deverá delegar poderes de representação num procurador para que este possa representá-lo legalmente durante o período da mobilidade, informação que deverá ser fornecida à instituição de ensino superior de origem (poderá encontrar um modelo de procuração no sítio do Consórcio). O Guia Geração Erasmus (abril de 2012) traz, na página 46, uma checklist que poderá ser útil na preparação da mobilidade.

Este site foi financiado com o apoio da Comissão Europeia. A informação contida neste site vincula exclusivamente o autor, não sendo a Comissão responsável pela utilização que dela possa ser feita.

UCP    logo eshte    logo fch       Erasmus